Logotipo Original Sunne
Mão segurando lâmpada com muda de planta para artigo Startups ESG rumo a um mundo mais sustentável

Startups ESG são modelos de liderança rumo a um mundo mais sustentável

A agenda ESG ainda pode ser um desafio mundial em que empresas tentam se encaixar, em contrapartida, o setor de empresas de tecnologia, berço de várias startups ESG, vem com uma agenda alinhada e focada na sustentabilidade socioambiental.

Quando falamos sobre responsabilidade ambiental e social, estamos falando sobre aumentar a consciência de que existem poucas coisas que consumimos hoje que não possuem um impacto imenso nos nossos recursos naturais.

Logo, toda empresa hoje, seja ela uma startup ou convencional, tem o dever de se comprometer e trazer soluções sustentáveis. Essa atitude não é só boa para a nossa sociedade, como também ajudam no desenvolvimento econômico da própria empresa.

Se você não está entendendo nada do que se trata ESG, continue lendo este artigo, pois vamos falar sobre a ela e seus pilares, tipos de startup ESG, os benefícios e a importância dessas práticas fundamentais no contexto atual.

O que é ESG?

Bem, ESG é uma sigla em inglês para Ambiental (Environmental), Social (Social) e Governança (Governance), ou seja, um conjunto de boas práticas que buscam definir se uma empresa tem consciência social, preocupação em ser sustentável e se consegue ter um bom gerenciamento.

Basicamente, a agenda ESG é uma forma de medir o quão uma empresa é sustentável ou não na nossa sociedade. 

Para você entender melhor como isso se aplica na prática, é interessante que uma empresa, mesmo no seu nicho, tenha responsabilidades sustentáveis e isso é o mínimo que esperamos.

Um restaurante, trazendo um exemplo prático da nossa rotina, pode implementar a exclusão de descartáveis, incentivar a agricultura familiar, fazer reciclagem, economizar energia e água e até prezar por utensílios sustentáveis. Pequenas ações como essas, pode parecer que não, mas já ajudam o meio ambiente.

Os pilares da ESG

  • Ambiental
  • Social
  • Governança

Esses pilares são importantes para avaliar as startups ESG, como uma opção viável de investimentos sustentáveis, investimentos esses que serão empregados na geração de impactos positivos não só financeiro, como ambiental e social. 

Ser uma empresa/startup com o Environmental, Social and Governance no core do modelo de negócios, demonstra que possui uma compreensão do seu poder de influência e do valor compartilhado que facilitará na geração de novos negócios.

A origem do termo ESG

O termo surgiu em 2004 em uma publicação pioneira do Banco Mundial em parceria com o Pacto Global das Organizações Unidas (ONU) e instituições financeiras de 9 países, chamada Who Cares, Wins.

O documento foi uma provocação do secretário-geral da ONU, Kofi Annan, a 50 CEOs de grandes instituições financeiras.

A intenção da provocação foi fomentar soluções de como integrar as questões sociais, ambientais e de governança também na busca por capital financeiro.

Essa publicação foi feita há quase 20 anos e definiu o tom do investimento sustentável. E no Brasil os critérios de ESG são uma realidade, urgente.

Especialmente quando seus stakeholders buscam se engajar com empresas de boa reputação, olhos para o futuro. Pois, de acordo com novo estudo, até 2025, 57% dos ativos financeiros na Europa vão considerar a ESG na hora de investir.

Conheça 5 tipos de startups ESG?

As startups ESG são empresas com modelo de empreendedorismo sustentável, com objetivo de trazer para a sociedade soluções inovadoras e sustentáveis que ajudarão o meio ambiente e a nossa sociedade, enquanto, simultaneamente, buscam o crescimento financeiro de seus negócios. 

1. Startups de energia renovável

Desenvolvem soluções de geração e armazenamento de energia limpa, como painéis solares, turbinas eólicas e baterias (que é justamente onde a Sunne se encaixa)

2. Startups de mobilidade

Oferecem soluções inovadoras de transporte urbano como compartilhamento de bicicletas, carros elétricos e serviços de carona.

3. Startups de reciclagem e gestão de resíduos

Buscam solucionar a redução do impacto ambiental causado pela produção e descarte de resíduos. Elas atuam na reciclagem de materiais recicláveis, como plástico e compostagem de resíduos orgânicos.

4. Startups de agricultura sustentável

Cria soluções para melhorar a eficiência e a sustentabilidade da produção agrícola, como sistemas de irrigação eficientes e tecnologias de monitoramento de cultivos.

5. Startups de finanças sustentáveis

Oferecem soluções financeiras que incentivam a adoção de práticas sustentáveis, como empréstimos com juros baixos para projetos ambientais e sociais.

Esses são apenas alguns exemplos de tipos de startups ESG que existem no Brasil. Além disso, é importante lembrar que todo dia surgem novas empresas focadas e preocupadas em propor alternativas para solucionar problemas socioambientais.

Benefícios que uma startup ESG pode ter em relação às outras empresas

Consumidores e investidores estão buscando marcas que oferecem não só qualidade dos seus produtos ou serviços como também marcas com boas práticas relacionadas ao ESG.

Por isso, o ESG hoje vem se tornando mais imprescindível, especialmente, se a intenção dessa empresa tecnológica ou convencional é ter um crescimento saudável e próspero. Para isso, o caminho que faz mais sentido é adotar melhores práticas nas áreas socioambientais benéficas para os negócios.

Alguns desses benefícios que uma startup ESG pode ter muito sucesso, é na atração de investidores que querem se alinhar a empresa com impacto positivo na sociedade. 

Essas empresas conseguem ter uma relação melhor com seus colaboradores, já que as pessoas se sentem mais motivadas para trabalhar em ambientes que possuem um propósito além do lucro unicamente e assim a retenção de talentos é maior.

Com um propósito forte e gana para conquistar investidores, fica mais fácil obter destaque no mercado, principalmente, quando esse mercado está priorizando empresas sustentáveis.

A importância de uma startup ESG no contexto global

As startups ESG (Environmental, Social and Governance) possuem um papel vital quando falamos sobre enfrentar problemas socioambientais, pois são empresas que tem no seu core business o propósito de criar soluções inovadoras e, por consequência, aumentar seu lucro.

Além disso, são empresas muito interessadas em melhorar a qualidade de vida da sociedade onde está inserida, trazer formas diferenciadas e inovadoras capazes de levar todos para uma direção mais sustentável.

Ainda, são exemplos para outras empresas ou organizações que ainda não conseguiram seguir os pilares da sustentabilidade. Facilmente conseguem desempenhar um papel de liderança para que essas mudanças ocorram de forma coletiva.

Resumindo, as startups que seguem os pilares ESG conseguem ter uma relevância global porque conseguem e são flexíveis o suficiente para trazer a rodas de discussão problemas sociais e ambientes que vivemos hoje e ainda trazer jeitos interessantes de alcançar um objetivo comum: uma economia responsável e sustentável.

Para concluir…

É uma realidade e que não pode ser ignorada, onde cada vez mais investidores se voltam a empresas que seguem os pilares da sustentabilidade ESG, onde os valores éticos conseguem gerar valor além do financeiro.

Incentivar uma cultura corporativa com propósito que priorize seus stakeholders, seus consumidores, o mercado de atuação, as pessoas envolvidas nesse processo, tanto colaboradores quanto a comunidade. 

Portanto, o aspecto Ambiental, Social e Governança se torna relevante para o mercado financeiro.

Agora que tal você continuar aprendendo outras formas para se tornar uma empresa sustentável e que quer começar a depender menos de um estilo de negócios que em pouco tempo se tornará insustentável?

Continue lendo este texto: Vantagens e desvantagens da energia renovável: em quais casos ela pode ser nociva ao meio ambiente? 

Saiba mais sobre energia solar por assinatura. Sem instalar painéis solares, sem obras, sem investimento. A Sunne cuida de tudo por você