Logotipo Original Sunne
Pôr do Sol refletindo em painéis solares para Microgeração distribuída: o que é e como funciona

Saiba o que é e como funciona a microgeração distribuída

Em busca de soluções sustentáveis, muitas empresas apostam na microgeração distribuída para reduzir o teor de carbono, mais dinamismo na oferta e procura por energia elétrica.

Como uma forma de fazer o país acompanhar as novas tecnologias no campo da geração de energia e as novas modalidades, a microgeração de energia solar cresceu cerca de 57% no ano e o Mato Grosso do Sul já é o 8º maior produtor do país.

Se quiser saber o que é, como funciona a microgeração distribuída e, obviamente, as vantagens e desvantagens para sua empresa com esse modelo de geração, continue lendo este artigo que iremos esclarecer alguns pontos para você!

O que é microgeração distribuída?

Com a Resolução Normativa n.º 482/2012, atualmente a Resolução Normativa n.º 1.059/2023, o consumidor pode gerar sua própria energia elétrica a partir de fontes renováveis ou por meio da cogeração qualificada.

Dito isto, a microgeração distribuída é a geração de energia elétrica a partir de pequenas centrais geradoras que utilizam fontes renováveis de energia ou cogeração qualificada, conectadas à rede de distribuição por meio de instalações de unidades consumidoras.

A microgeração distribuída pode ser realizada por pessoas físicas, empresas ou instituições, e pode ser utilizada para atender ao consumo próprio ou para gerar créditos energéticos que podem ser compensados com o consumo de energia elétrica da rede.

No Brasil, a microgeração distribuída é regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que estabelece os requisitos técnicos e comerciais para a sua implantação.

Quais são os tipos de microgeração distribuída?

A microgeração distribuída é uma forma de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis, que permite que os consumidores produzam sua própria energia em pequena escala e a utilizem em suas residências ou estabelecimentos comerciais.

Existem diferentes tipos de microgeração distribuída, sendo os principais a energia solar fotovoltaica, sendo a forma mais comum de geração distribuída, que utiliza painéis solares para converter a energia do sol em eletricidade.

Essa energia pode ser utilizada diretamente pelo consumidor ou injetada na rede elétrica para ser compensada posteriormente.

Tem também a energia eólica, onde se utiliza turbinas eólicas para gerar eletricidade a partir da força dos ventos. É uma opção viável em regiões com ventos constantes e fortes.

A biomassa que utiliza resíduos orgânicos, como restos de madeira, bagaço de cana-de-açúcar e outros materiais para gerar eletricidade. É uma opção interessante para regiões com grande produção de resíduos orgânicos.

Além disso, a microgeração distribuída pode ter pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) que são usinas hidrelétricas de pequeno porte, que utilizam a força da água para gerar eletricidade. São indicadas para regiões com rios e quedas d’água.

E por último, a temos a cogeração, a qual é a produção simultânea de energia elétrica e térmica a partir de uma mesma fonte de energia, como a queima de biomassa ou gás natural. É uma opção interessante para estabelecimentos comerciais e industriais que necessitam de grande demanda de energia térmica.

Entretanto, é importante ressaltar que a escolha do tipo de microgeração distribuída deve levar em consideração as características da região, a disponibilidade de recursos naturais e a demanda de energia do consumidor.

Além disso, é necessário verificar as regulamentações e normas técnicas para a instalação e conexão desses sistemas à rede elétrica.

Quais são as vantagens e desvantagens da microgeração distribuída?

A microgeração distribuída apresenta diversas vantagens e desvantagens que devem ser consideradas antes de optar por esse tipo de geração de energia. Abaixo, listamos algumas das principais vantagens e desvantagens.

Vantagens da microgeração distribuída:

  • A microgeração permite que o consumidor produza sua própria energia, o que pode reduzir significativamente a conta de luz;
  • Esse modelo utiliza fontes de energia renováveis, como a energia solar e eólica, o que contribui para a redução da emissão de gases de efeito estufa e para a preservação do meio ambiente;
  • Permite que o consumidor produza sua própria energia, o que garante maior autonomia energética e reduz a dependência da rede elétrica.
  • A instalação de sistemas de microgeração distribuída pode valorizar o imóvel, já que se trata de uma tecnologia sustentável e inovadora.

Desvantagens da microgeração distribuída

  • A instalação de sistemas de microgeração distribuída pode exigir um investimento inicial elevado, o que pode ser um obstáculo para muitos consumidores;
  • A geração de energia a partir de fontes renováveis, como a energia solar e eólica, depende das condições climáticas, o que pode afetar a produção de energia em dias nublados ou com pouco vento;
  • A instalação de sistemas de microgeração distribuída está sujeita a regulamentações e normas técnicas, o que pode dificultar o processo de instalação e conexão à rede elétrica;
  • Sistemas de microgeração distribuída exigem manutenção e reparos periódicos, o que pode gerar custos adicionais para o consumidor.

É importante ressaltar que as vantagens e desvantagens da microgeração distribuída podem variar de acordo com as características da região e do consumidor.

Por isso, é fundamental avaliar cuidadosamente esses aspectos antes de optar por esse tipo de geração de energia.

Paineis solares para artigo sobre Microgeração distribuída: o que é e como funciona

Como funciona a microgeração distribuída?

Como você já deve ter percebido, a microgeração de energia solar é um sistema de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis que permite que os consumidores produzam sua própria energia em pequena escala e a utilizem em suas residências ou estabelecimentos comerciais.

O funcionamento desse sistema pode variar de acordo com o tipo de fonte de energia utilizada, mas, de maneira geral, o processo de microgeração distribuída de energia solar, por exemplo, envolve alguns passos como a captação da energia.

Após a captação, se segue a conversão da energia captada para ser convertida em energia elétrica por meio de equipamentos específicos, como painéis solares, turbinas eólicas, geradores a biogás, entre outros.

Após esse processo inicial, a energia elétrica gerada pode ser utilizada diretamente pelo consumidor em suas residências ou estabelecimentos comerciais, mas caso a energia gerada seja superior à demanda do consumidor, ela pode ser injetada na rede elétrica para ser compensada posteriormente.

Por último, chegamos na compensação de energia que acontece devido à energia injetada na rede elétrica é compensada por meio de créditos de energia, que podem ser utilizados para abater o consumo de energia elétrica em períodos de baixa produção de energia.

É importante ressaltar que o funcionamento da microgeração distribuída pode variar de acordo com as características da região e do tipo de fonte de energia utilizada. 

Além disso, é necessário verificar as regulamentações e normas técnicas para a instalação e conexão desses sistemas à rede elétrica.

O que é o sistema de compensação de energia?

Como falamos na compensação, provavelmente deve estar se perguntando o que é isso. Para você não ter dúvidas, explicaremos agora!

O sistema de compensação de energia é um mecanismo que permite que os consumidores que possuem sistemas de microgeração de energia solar, como painéis solares, possam injetar o excedente de energia gerado na rede elétrica e receber créditos de energia para serem utilizados posteriormente.

Esses créditos de energia podem ser utilizados para abater o consumo de energia elétrica em períodos de baixa produção de energia, como em dias nublados ou com pouco vento. 

O sistema de compensação de energia é regulamentado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) sob a Lei n.º 14.300/2022 e está disponível para consumidores que possuem sistemas de microgeração distribuída com potência instalada de até 5 MW.

A compensação de energia é feita por meio de um sistema de créditos de energia, gerados sempre que a energia injetada na rede elétrica for superior à energia consumida pelo consumidor. 

Os créditos de energia gerados podem ser utilizados para abater o consumo de energia elétrica em até 60 meses, contados a partir da data de emissão dos créditos.

O impacto ambiental da microgeração distribuída

A microgeração distribuída apresenta um impacto ambiental positivo em comparação com as fontes de energia convencionais, como a energia gerada a partir de combustíveis fósseis.

Isso porque a microgeração utiliza fontes de energia renováveis, como a energia solar, eólica e biomassa, que não emitem gases de efeito estufa e contribuem para a redução da emissão de poluentes atmosféricos.

Além disso, a microgeração de energia solar permite que os consumidores produzam sua própria energia em pequena escala, o que reduz a dependência da rede elétrica e contribui para a segurança energética do país.

Portanto, a geração distribuída também pode ajudar a reduzir as perdas de energia elétrica na rede de distribuição, já que a energia é gerada próxima ao local de consumo.

No entanto, é importante ressaltar que a instalação de sistemas de microgeração distribuída pode gerar impactos ambientais locais, como a necessidade de desmatamento para a instalação de painéis solares ou a utilização de água para a geração de energia hidrelétrica.

Por isso, é fundamental avaliar cuidadosamente as características da região e do tipo de fonte de energia utilizada antes de optar por esse tipo de geração de energia.

Assine um plano de energia solar por assinatura da Sunne

A microgeração distribuída é uma alternativa sustentável e econômica para a geração de energia elétrica.

Por meio da instalação de painéis solares ou outras fontes renováveis, os consumidores podem gerar sua própria energia e reduzir o consumo da rede elétrica.

No Brasil, a microgeração é regulamentada pela ANEEL, que estabelece uma série de requisitos para a sua instalação.

A Sunne é uma empresa que faz a intermediação entre usinas solares e clientes de energia solar por assinatura. Através da Sunne, os clientes podem economizar na conta de luz sem precisar arcar com os custos de instalação de painéis solares.

O processo de assinatura é feito 100% online e o cliente só paga por aquilo que consumir. Os clientes podem escolher o plano de energia que melhor atende às suas necessidades e começar a economizar.

Se está buscando uma alternativa sustentável e econômica para a geração de energia elétrica da sua empresa, a microgeração de energia solar é uma opção a ser considerada.

A Sunne é uma empresa que pode te ajudar a usufruir dos benefícios da energia solar sem precisar de grandes investimentos.

Acesse o site da Sunne e faça uma simulação para saber quanto você pode economizar com a microgeração distribuída.

Energia solar sem precisar investir em painéis solares? Venha fazer parte do futuro da energia. Fale agora com um dos nossos consultores

A primeira Inteligência Artificial do setor de energia!

Descubra em primeira mão como essa plataforma irá revolucionar o setor e os seus resultados.