Logotipo Original Sunne
Homem com colete de segurança laranja e capacete de segurança amarelo ao centro da imagem. O homem está em frente a um terreno em aclive com uma fileira de painéis solares, o terreno é verde de grama e o céu limpo e azul para ilustrar artigo sobre como funciona o mercado livre de energia

Descubra como o mercado livre de energia funciona

Deixar a realidade bruta de pagar uma conta de luz altíssima todo mês, não precisar lidar com bandeiras tarifárias, para finalmente ter a liberdade de escolher o seu fornecedor de energia e economizar mensalmente. Pois é assim que o mercado livre de energia funciona

Isso não é uma utopia, é uma realidade e está acontecendo agora mesmo no Brasil, na verdade, já vem acontecendo há 20 anos, mas só agora está ganhando força no mercado e com previsão de expansão a partir de janeiro de 2024.

 Se quer que sua empresa participe desse mercado, confira o que é mercado livre de energia, quem pode comprar energia no mercado livre e vender e como sua empresa pode entrar, continue lendo esse artigo que vamos falar tudo!

O que é mercado livre?

Poderíamos resumir o mercado livre em apenas em algumas palavras: ambiente de negociação de energia elétrica. Mas, isso não lhe daria uma imagem mais fácil ou mais simples sobre o que é mercado livre de energia, de fato, apenas deixaria simplista e sem muitas informações.

Por isso, vamos lhe dar uma imagem macro sobre que mercado é esse. 

No Brasil, existem duas formas de comprar energia, uma delas é que já estamos acostumados e a usamos diariamente em nossas casas, chamada de Ambiente de Contratação Regulada (ACR), onde uma concessionária local fornece energia aos consumidores. 

Neste modelo o consumidor paga pelo seu consumo, paga as taxas e ainda precisa lidar com as bandeiras tarifárias e o preço de energia no mercado livre é regularizado. Apenas isso torna essa energia fornecida bem mais cara para um consumidor residencial, agora imagina para uma empresa.

Já a segunda forma é o Ambiente de Contratação Livre (ACL), o mercado livre, é nesse ambiente que o consumidor recupera seu poder de escolha e coloca suas habilidades de negociação à mostra.

Pois é nesse ambiente livre que o consumidor consegue negociar com fornecedores de energia e escolher de quem vai comprar. Essas negociações se referem a:

  • Preço;
  • Indicadores de reajuste;
  • Quantidade;
  • Duração de abastecimento;
  • Condições de pagamento;
  • Fonte de energia.

Agora resumindo de uma forma mais honesta, o mercado livre ou Ambiente de Contratação Livre (ACL) é um ambiente também regulado que traz muita liberdade para o consumidor e inúmeras vantagens como firmar contratos bilaterais, de curto, médio e longo prazo.

Como funciona o mercado livre de energia

Segundo a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), atualmente 80% da energia consumida no Brasil é 80% adquirida no mercado livre de energia. Mas, a presença do mercado livre cresce exponencialmente, consolidando o mercado.

Portanto, esse crescimento não cresce sem justificativa, uma vez que o mercado livre de energia consegue promover economia financeira para empresas que possuem grande dificuldade de colocar os gastos de energia em um orçamento.

E para entender melhor como funciona o mercado livre de energia, vamos entender como funcionam alguns fatores que tornam esse mercado tão competitivo e benéfico para as empresas.

Os tipos de fontes de energia no mercado livre

Existe hoje no mercado livre duas fontes de energia:

  • Energia Convencional 
  • Energia Incentivada

A energia convencional é o tipo de energia mais conhecida que se dá pelo uso de recursos não renováveis, principalmente, através da queima. Por exemplo, as usinas termelétricas ou grandes hidrelétricas. 

Além disso, a energia convencional não garante ao consumidor final descontos na Tarifa de Uso de Sistema de Distribuição (TUSD) e ainda sofre variações no mercado financeiro. E nem falamos também dos danos que a emissão que o uso desse tipo pode causar no meio ambiente.

Enquanto, o uso da energia incentivada, comumente conhecida como energia sustentável, que além de ajudar na saúde do planeta, consegue ajudar também no desenvolvimento da economia local, preço de energia no mercado livre é baixo, com qualidade e ainda ajuda o meio ambiente. 

Quem pode comprar energia no mercado livre?

No mercado livre, assim como existem duas fontes de energia, existem também dois tipos de consumidores:

  • O consumidor livre
  • O consumidor especial

O consumidor livre deve ter uma demanda de até 500 kW, podendo negociar qual tipo de energia querem, conseguem escolher o preço da energia no mercado livre que querem pagar e até quais fornecedores, isso no mercado livre (ACL). Podendo contratar energia convencional ou sustentável.

Já o consumidor especial, são um conjunto que devem estar localizados em áreas próximas ou que possuam o mesmo CNPJ. Para eles, a demanda deve ser maior ou igual a 500 Kw. Porém, diferente do consumidor livre que pode contratar energia convencional ou livre, o consumidor especial só pode contratar energia de fontes incentivadas, ou seja, renováveis. 

Contudo, recentemente, o Ministério de Minas e Energia (MME), abre o mercado livre para consumidores de alta tensão a partir de 2024, onde eles poderão escolher de quem querem comprar energia.

Essa abertura para quem pode comprar energia no mercado livre se expande, beneficiando aproximadamente 106 mil novas unidades consumidoras desde comércios a indústrias, pois poderão comprar energia mesmo estando na faixa de consumo inferior a 500 kW, sendo 45,6% no comércio e outros 34.5% na indústria. 

Agora que já conhece algumas coisas importantes necessárias para começar a entender o mercado livre, vamos aprofundar um pouco mais em como funciona o mercado livre de energia.

O bê-a-bá de como funciona o mercado livre 

Já que 56% das indústrias que estão no mercado cativo querem migrar para o mercado livre de energia, acreditamos que você também queira, então precisamos entender melhor como funciona o mercado livre de energia e quem pode comprar lá.

Segundo a Abraceel, o mercado livre de energia funciona da seguinte forma: os fornecedores entregam e recebem energia ao sistema, em seu centro de gravidade, assumindo parcela das perdas entre o ponto de geração e este centro de gravidade.

Já os consumidores, entregam e recebem energia ao sistema, em seu centro de gravidade, assumindo parcelas das partes entre este centro de gravidade e o ponto de consumo.

Esse sistema, então, garante a oferta e a qualidade do produto. Se houver diferença entre o contratado e o produzido ou consumido, são liquidadas pelo Preço de Liquidação de Diferença (PLD), que é o resultado do cálculo que determina os valores de toda energia elétrica que foi produzida, mas não foi contratado pelos agentes do mercado, sendo feita uma liquidação pela CCEE.

Além disso, os contratos protegem os agentes do preço de energia no mercado livre de curto prazo e são obrigatórios para 100% de carga, sem restrição de prazo no mercado livre. Os contratos também são registrados após a medição do consumo efetivo. 

Caso não seja comprovado, aplica-se o pagamento da PLD, além do pagamento de penalidades para falta de lastro do contrato de energia e potência.

Como migrar do ACR e partir para o ACL?

Da forma como o mercado livre de energia funciona pode ser bem difícil para algumas empresas entrar.

Mas, se sua empresa ainda não tem uma demanda de 500 kW obrigatórios para entrar no mercado livre e aproveitar todas as vantagens que ele pode oferecer para a saúde financeira da sua empresa, não se preocupe!

A Sunne é uma empresa que visa levar energia barata, oferecendo energia incentivada, como o aluguel de energia solar com descontos de até 20% para empresas que possuem um consumo igual ou maior que R$1,000 por mês.

Ainda não está acreditando que seja possível? Então, vem conferir o quanto você pode economizar na conta de luz da sua empresa, fazendo uma simulação da sua conta. 

O melhor de tudo isso é que nós vamos nos cuidar de toda a parte burocrática enquanto você aproveita a economia!