Logotipo Original Sunne
Jovem fazendo apresentação para artigo sobre Riscos do mercado livre de energia que você pode evitar

Os 5 riscos do mercado livre de energia para você evitar

Já sabemos que o Ambiente de Contratação Livre (ACL) consegue proporcionar diversas vantagens para os consumidores, mas e os riscos do mercado livre de energia?

Uma das vantagens do mercado de energia livre está a liberdade de negociação, os consumidores podem estar sujeitos a correrem riscos no mercado livre de energia elétrica se não tiverem as informações necessárias. 

Para ajudar você a evitar esses riscos, preparamos uma lista com 5 principais riscos que os consumidores podem sofrer. Então, leia este artigo completo para conferir todos eles e assim ficar mais atento.

O que é o mercado livre de energia?

Antes de começarmos a listar os possíveis riscos do mercado livre de energia, vamos falar brevemente sobre o que é esse mercado de energia livre.

O mercado livre de energia é um ambiente de negociação em que consumidores e geradores de energia elétrica podem negociar livremente a compra e venda de energia elétrica. 

Nesse mercado, os consumidores podem escolher o seu fornecedor de energia elétrica, negociar preços e condições contratuais, além de poderem optar por fontes de energia renováveis. 

No Brasil, a abertura do mercado livre de energia começou em 1995, com a Lei n.º 9.074, que permitiu a livre negociação de energia elétrica entre consumidores e geradores. 

Desde então, o mercado livre tem crescido e se desenvolvido, atraindo cada vez mais consumidores e geradores interessados em negociar livremente a compra e venda de energia elétrica.

É importante ressaltar que o mercado livre de energia é destinado a consumidores com demanda contratada igual ou superior a 500 kW, ou para aqueles que se enquadram em outras categorias especiais, como consumidores do setor público e consumidores que utilizam fontes de energia renováveis. 

Para os consumidores do mercado livre de energia elétrica com demanda inferior a 500 kW, a compra de energia elétrica ainda é realizada por meio das distribuidoras locais.

Dito isto, vamos para os 5 possíveis riscos do mercado livre de energia!

Os 5 principais riscos do mercado livre de energia

Como falamos antes, o mercado livre de energia elétrica possui muitas vantagens para os consumidores, mas poucos se fala dos riscos. Por isso, confira abaixo uma lista com os principais que você pode evitar ao aderir a esse mercado.

1. Investimento inicial

Um dos riscos do mercado livre de energia é o investimento inicial necessário para a migração para esse ambiente de negociação. 

Para se tornar um consumidor livre de energia, é preciso realizar investimentos em infraestrutura, como a instalação de medidores e sistemas de monitoramento de consumo, além de contratar serviços de consultoria e gestão de energia.

Esses investimentos podem ser significativos e, em alguns casos, podem levar anos para serem recuperados. 

Além disso, é importante lembrar que o mercado livre de energia é um ambiente de negociação sujeito a flutuações de preços e condições de oferta e demanda, o que pode afetar a rentabilidade dos investimentos realizados.

Por isso, é fundamental que os consumidores avaliem cuidadosamente os custos e benefícios da migração para o mercado livre de energia, levando em consideração não apenas o investimento inicial, mas também os riscos e oportunidades desse ambiente de negociação. 

É recomendável que os consumidores busquem o apoio de consultores especializados em energia para avaliar as melhores opções de migração e gestão de energia para o seu perfil de consumo e negócio.

2. Custos mensais

O mercado livre de energia elétrica oferece diversas vantagens para os consumidores, como a possibilidade de escolher o fornecedor de energia elétrica, negociar preços e condições contratuais.

No entanto, assim como em qualquer mercado, existem riscos que devem ser considerados pelos consumidores, por exemplo, a variação dos preços da energia elétrica. 

No mercado livre, os preços são determinados pela oferta e demanda, o que pode levar a variações significativas nos preços da energia elétrica ao longo do tempo. 

Essas variações podem ser influenciadas por diversos fatores, como a disponibilidade de energia, as condições climáticas, a oferta de combustíveis, entre outros.

Além disso, os consumidores devem estar atentos aos custos mensais associados ao mercado livre de energia, como os custos de transmissão, distribuição e encargos setoriais. Esses custos podem variar de acordo com a região e o perfil de consumo do consumidor, e devem ser considerados na hora de avaliar a viabilidade da migração para o mercado livre de energia.

Por fim, é importante destacar que os consumidores que optam pelo mercado livre de energia devem estar preparados para lidar com a complexidade do mercado e ter uma equipe especializada para gerenciar os contratos e os riscos associados à negociação de energia elétrica.

3. Contrato

Assim como em qualquer ambiente de negociação, um dos principais riscos do mercado livre de energia está relacionado ao contrato firmado entre as partes.

O contrato de energia elétrica no mercado livre de energia elétrica é um documento que estabelece as condições de fornecimento de energia elétrica, como o preço, a quantidade, a qualidade e o prazo de entrega da energia. 

É importante que o contrato seja bem elaborado e contenha cláusulas claras e objetivas, que definem as obrigações e responsabilidades de cada parte.

Um dos riscos relacionados ao contrato é a possibilidade de descumprimento das obrigações por uma das partes. 

Por exemplo, o gerador pode não entregar a quantidade de energia elétrica acordada no contrato, ou o consumidor pode não efetuar o pagamento na data estabelecida. 

Nesses casos, o contrato deve prever as penalidades e as medidas a serem tomadas para solucionar o problema.

Outro risco relacionado ao contrato é a possibilidade de variação do preço da energia elétrica. No mercado livre, o preço da energia elétrica é determinado pela oferta e demanda, o que pode levar a variações significativas no preço ao longo do tempo. 

É importante que o contrato contenha cláusulas que prevejam mecanismos de ajuste de preço, como a indexação a índices de inflação ou a preços de referência.

Por fim, é importante destacar que o contrato de energia elétrica no mercado livre é um documento complexo e que exige conhecimento técnico e jurídico.

Por isso, é recomendável que as partes contem com o apoio de profissionais especializados na elaboração e negociação de contratos de energia elétrica.

4. Variações no preço da energia

Uma das principais características do mercado livre de energia é a variação no preço da energia elétrica, que pode ser influenciada por diversos fatores, como a oferta e demanda, condições climáticas, variações cambiais, entre outros. 

Essa variação no preço pode representar um risco para os consumidores que optam por negociar livremente a compra de energia elétrica.

Os consumidores que optam pelo mercado livre de energia devem estar cientes de que os preços podem oscilar bastante ao longo do tempo, o que pode afetar significativamente o seu orçamento. 

Além disso, os contratos de fornecimento de energia elétrica no mercado livre geralmente possuem prazos mais longos, o que pode dificultar a adaptação a mudanças repentinas no preço da energia.

Para minimizar os riscos associados à variação no preço da energia elétrica, os consumidores devem realizar uma análise cuidadosa das condições contratuais e das tendências do mercado antes de fechar um contrato de fornecimento de energia elétrica. 

É importante também considerar a possibilidade de contratar serviços de consultoria especializada em energia elétrica, que podem ajudar a identificar oportunidades de negociação e a gerenciar os riscos associados ao mercado livre de energia.

5. Contratar menos do que precisa

Um dos riscos do mercado livre de energia é contratar uma quantidade de energia elétrica inferior à demanda real da empresa. Isso pode ocorrer quando a empresa subestima a sua demanda ou quando busca economizar na contratação de energia elétrica.

Caso sua empresa contrate menos energia do que precisa, pode ocorrer o que é chamado de “exposição involuntária”, ou seja, a empresa fica exposta a preços mais elevados no mercado spot de energia elétrica, sendo o mercado de curto prazo em que as empresas compram energia elétrica para suprir a demanda que não foi contratada.

Além disso, a exposição involuntária pode levar a empresa a ter que recorrer ao mercado de energia de reserva, que é um mercado de energia elétrica de curto prazo, utilizado em situações de emergência, e que possui preços ainda mais elevados do que o mercado spot.

Para evitar os riscos do mercado livre de energia, é importante que a empresa faça uma análise criteriosa da sua demanda de energia elétrica e contrate uma quantidade de energia que seja suficiente para suprir as suas necessidades. 

É recomendável também que a empresa tenha um plano de contingência para lidar com situações de emergência, como a falta de energia elétrica no mercado livre.

Como evitar os riscos do mercado livre de energia

Agora que você já sabe os riscos do mercado livre de energia é possível ficar mais alerta para eles e dessa forma você pode usar algumas medidas para evitar esses riscos.

1. Contratar uma quantidade de energia elétrica adequada à demanda da empresa

É importante que sua empresa faça uma análise criteriosa da sua demanda de energia elétrica e contrate uma quantidade de energia que seja suficiente para suprir as suas necessidades. 

Dessa forma, a empresa evita a exposição involuntária a preços mais elevados no mercado spot de energia elétrica.

2. Diversificar a carteira de fornecedores

É recomendável que a empresa tenha mais de um fornecedor de energia elétrica, para reduzir a dependência de um único fornecedor e minimizar os riscos de interrupção no fornecimento de energia.

3. Monitorar o mercado de energia elétrica

Além disso, sua empresa pode acompanhar as variações de preços e as condições do mercado de energia elétrica, na verdade, isso é fundamental para que você consiga identificar oportunidades de negociação, antecipar possíveis riscos e encontrar as melhores negociações.

4. Ter um plano de contingência

Quando decidir negociar no mercado livre de energia, tenha um plano de contingência para lidar com emergências, como a falta de energia elétrica no mercado livre. 

Esse plano deve incluir medidas para reduzir o consumo de energia elétrica e para recorrer a outras fontes de energia, se necessário.

5. Contar com o apoio de especialistas

Busque apoio de especialistas em energia elétrica, como consultores e empresas de gestão de energia, que podem ajudar a empresa a identificar oportunidades de negociação e a gerenciar os riscos do mercado livre de energia.

Sunne é a solução para as empresas

Os riscos do mercado livre de energia podem ser evitados com planejamento e conhecimento. 

No entanto, para empresas que não têm o tempo ou a expertise necessários para lidar com esses riscos, a assinatura de um plano de energia solar por assinatura pode ser uma boa alternativa.

A Sunne é uma empresa especialista em energia limpa e renovável que ajuda clientes que optam pela assinatura de energia, assim como também ajuda empresas a terem energia limpa do mercado livre de energia. 

Entre em contato e fale com um especialista na área!

Contrate energia solar por assinatura e seja parte do futuro da energia hoje com a Sunne. Comece a economizar agora.

A primeira Inteligência Artificial do setor de energia!

Descubra em primeira mão como essa plataforma irá revolucionar o setor e os seus resultados.